home

Tribunal do J√ļri acata tese do MPPA e condena r√©u a mais de 19 anos de reclusão por feminic√≠dio e fraude processual

O crime ocorreu em janeiro de 2021; Amanda da Silva morreu vítima de enforcamento, no entanto, o acusado alegou que ela cometeu suicídio

Por Redação/Diário do Tapajós em 06/06/2024 às 16:05:12

Nesta terça-feira, 4, o Conselho de Sentença da Comarca de Uruar√° reconheceu a materialidade e a autoria do fato imputado pela denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado, e concluiu que o réu Vandeilson Fernandes Lima matou a sua companheira Amanda da Silva. Ele foi condenado por feminicídio - crime foi cometido contra mulher por razões da condição de sexo feminino - e por fraude processual, pois modificou o local do crime. Pelos dois crimes cumprir√° mais de 19 anos e 6 meses de reclusão, em regime fechado.

O Corpo de Jurados acatou a tese da acusação de Homicídio Qualificado praticado contra mulher por razões da condição de sexo feminino e Fraude Processual previstos no art. 121 ¬ß2¬ļ, VI c/c art. 347, todos do CPB. A defesa sustentou a tese de negativa de autoria e que Amanda teria cometido suicídio.

Participaram do julgamento o promotor de Justiça Titular de Uruar√° e Placas, Dereck Luan Viana de Vasconcelos, além do advogado de Defesa, Ricardo Magno Baptista, em sessão presidida pelo juiz de Direito João Vinicius da Conceição Malheiro.

O crime ocorreu na noite do dia 1¬ļ de janeiro de 2021, na √°rea central de Uruar√°, mediante enforcamento, no entanto, a versão contada pelo acusado era que a companheira havia cometido suicídio.

Após an√°lise dos autos do inquérito policial, o Ministério Público ofereceu denúncia pela pr√°tica dos crimes de feminicídio e fraude processual e o caso seguiu para o Tribunal do Júri.

A defesa alegou durante o julgamento a negativa de autoria, sob o argumento de que a vítima havia cometido suicídio. O caso na época ganhou grande repercussão na região do Xingu e Transamazônica. Ao final da sessão os jurados acataram a tese da acusação e condenaram o réu pelos dois crimes.

Fonte: Agência Pará

Comunicar erro

Coment√°rios